Ciro não crê em pesquisas e confia em virada de Marta

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, disse que não confia nos institutos de pesquisa e que a prefeita Marta Suplicy (PR) tem condições de reverter o quadro desfavorável e se reeleger em São Paulo. "Um fato, um argumento, uma descoberta ou uma ponderação pode ser suficiente para mudar a eleição. Quem deseja o melhor para São Paulo tem de lutar até o fim", disse.Embora o ministro tenha deixando claro sua preferência por Marta, o diretório municipal do seu partido, o PPS, apóia o candidato José Serra (PSDB). Ciro voltou a criticar o presidente do seu partido, Roberto Freire. Ele novamente se mostrou insatisfeito com o fato de PPS apoiar em São Paulo apoiar Serra. "Não tenho mais idade para comer pacote pronto de ninguém, e o seu Roberto Freire tem mania de tomar decisões que afetam a vida de muitos no partido."Ele disse que Freire deve ouvir os outros integrantes do PPS para formar alianças. Segundo Ciro, o lugar de um partido progressista num quadro eleitoral apresentado como dicotômico é ao lado de PT, PC do B e PSB e não ao lado de PSDB e PFL. "A distância entre mim e a seção paulista do PSB é insuperável."Apesar dessas críticas, o ministro disse que não está negociando nem cogitando, no momento, a saída do PPS. De acordo com ele, são boatos as informações de que pode passar para o PTB e sair candidato à eleição para o governo do Rio de Janeiro em 2006. Ciro Gomes participou hoje de almoço na Bovespa, com conselheiros da Bolsa, corretores e dirigentes de entidades ligadas ao mercado de capitais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.