JONNE RORIZ/AE
JONNE RORIZ/AE

Ciro muda título e reafirma candidatura à Presidência

Deputado expressa apoio à candidatura de Skaf ao governo de São Paulo nas eleições de 2010

estadao.com.br,

02 de outubro de 2009 | 17h23

Reiterando sua intenção para disputar a Presidência da República nas eleições de 2010, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) transferiu nesta sexta-feira, 2, seu domicílio eleitoral para São Paulo. Com a mudança, Ciro ainda pode atender a um pedido de Lula. O presidente quer que o deputado federal se lance ao governo paulista, para fazer frente ao PSDB, que comanda o estado há 16 anos.

 

Mas Ciro manteve sua posição: "Reafirmo minha disposição em apresentar minha pré-candidatura à Presidência da República". Além disso, o deputado federal defendeu a candidatura do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, para governador de São Paulo e disse que o empresário foi a primeiro a ser informado sobre sua decisão.

 

Presidência

 

Ciro já reiterou diversas vezes que sua prioridade é se lançar como candidato a presidente no ano que vem. Em seus discursos, apoia veementemente o governo do presidente Lula, sobre o qual promete manter as bases. Este é mais um ponto de discordância entre Ciro e Lula: o deputado acha que duas candidaturas governistas irão dar maior força contra os candidatos de oposição; já o presidente quer a disputa aconteça em um âmbito plebiscitário, em que o eleitor tenha que escolher entre um governo tucano ou petista.

 

Para reforçar sua posição de postulante a Presidência e, mais que isso, alguém que irá dar continuidade ao governo Lula, Ciro vem fazendo diversas críticas a Serra, pré-candidato do PSDB. Na semana passada, acusou o governador de São Paulo de ser "mais feio na alma que no rosto" e de querer uma "volta ao passado", com a "apologia do neoliberal como mito". Nesta quinta-feira, 1º, Ciro voltou ao ataque: "Nosso adversário José Serra era ministro durante oito anos do governo Fernando Henrique Cardoso, que quebrou o governo três vezes", disse o deputado federal.

 

Mas mesmo com seu discurso e postura de candidato a presidente e com o fato de deixar claro não querer tentar ser o governador de São Paulo, Ciro não descarta esta possibilidade. O deputado federal pelo Ceará já declarou que a decisão final de para qual cargo irá concorrer será tomada pelo PSB. "A última palavra é do meu partido", esclareceu na semana passada.

 

O deputado estadual e presidente do diretório de São Paulo do PSB, Marcio França, já mostrou uma sinalização que o partido pretende apoiar Ciro para presidente. França explicou em entrevista a Reuters, a estratégia de mudar o domicílio eleitoral do pré-candidato: "Ciro disse que vai se candidatar à Presidência a partir de São Paulo, porque foi depois que especulamos a vinda dele para São Paulo que ele subiu nas pesquisas para presidente", afirmou o dirigente do Partido Socialista Brasileiro.

 

PSB

 

Nos últimos dias o PSB viu entrar para seu quadro dois nomes de grande relevância política: Gabriel Chalita, vereador mais votado de São Paulo que saiu do PSDB para se filiar à sigla e Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Skaf deve concorrer ao cargo de governado de São Paulo.

 

Marcio França se mostrou entusiasmado na quinta-feira, 1º, com os nomes que partido pode exibir no pleito de 2010. "Nós temos um trio em São Paulo preparado para disputar a eleição".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.