Ciro Gomes está fora da disputa presidencial

Para embasar a decisão, PSB consultou os 27 diretórios regionais, dos quais 20 foram contra candidatura

Carol Pires, estadão.com.br

27 de abril de 2010 | 18h00

Agora é oficial: o deputado federal Ciro Gomes (CE) está fora da corrida presidencial deste ano. Coube ao presidente do PSB, governador Eduardo Campo (PE), anunciar a decisão: "A comissão Executiva Nacional do Partido Socialista Brasileiro reuniu-se nesta data em sua sede em Brasília para avaliar o quadro político-eleitoral do País e deliberar, depois de ouvidos os Diretórios Estaduais, sobre o papel a ser desempenhado pelo PSB na sucessão presidencial. Decidiu, por maioria de voto, não apresentar candidatura própria à presidência da República", disse o presidente do partido, ao ler nota oficial elaborada pela Executiva.

 

Para embasar a decisão partidária, a Executiva Nacional do PSB consultou os 27 diretórios regionais, dos quais 20 foram contra a candidatura própria e sete endossaram o nome de Ciro Gomes para disputar a sucessão de Lula. Hoje, na reunião da Executiva Nacional21 membros foram contra a candidatura própria e apenas dois favoráveis.

 

Eduardo Campos informou que, antes de dar a notícia à imprensa, telefonou para Ciro Gomes para anunciar a decisão da Executiva do partido. Segundo o governador, Ciro Gomes recebeu o comunicado como muita calma e contou que está elaborando, neste momento, uma nota sobre o assunto para ser distribuído à imprensa. Campos fez questão de ressaltar que os esforços de Ciro Gomes ao se lançar pré-candidato à presidência "não foram em vão". "Administrador vitorioso em diversos níveis de governo, homem de idéias e de atos em favor do país, Ciro Gomes engrandeceu o debate republicado".

 

Eduardo Campo embarcou em Recife ainda de madrugada e chegou em Brasília bem cedo. No hotel onde está hospedado, recebeu, ainda pela manhã, lideranças do partido para uma pré-reunião. À tarde, já na sede do partido, na Asa Norte, o governador voltou a se reunir com o mesmo grupo antes da reunião oficial da Executiva, que começou com cerca de uma hora de atraso. Ciro Gomes, como esperado, não apareceu na reunião.

 

O clima no PSB é de irritação com Ciro Gomes, que, nas últimas semanas, divulgou textos atacando o partido e elogiado José Serra, pré-candidato do PSDB à presidência. Eduardo Campos disse, há pouco, que na próxima terça-feira se reunirá com o presidente nacional do PT e, no dia 17 de maio, o PSB anunciará o apoio formal a Dilma Rousseff, pré-candidata petista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.