Celso Junior/AE
Celso Junior/AE

Ciro Gomes diz que olha para 2018 'com muito carinho'

Ex-governador do Ceará e ex-ministro, contudo, evitou falar em uma possível volta à política e nova tentativa de disputar a Presidência da República

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2015 | 18h40

RIO - O ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes disse nesta terça-feira, 30, que pensa "com carinho" em 2018, mas evitou falar em uma possível volta à política e nova tentativa de disputar a Presidência da República. Filiado ao PROS, Ciro trabalha desde o início do ano na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e se distanciou da vida partidária. Ele esteve no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio de Janeiro, para uma reunião na Casa Civil do Estado.

Questionado sobre a possibilidade de ingressar no PDT, como se especulou há algumas semanas, Ciro brincou: "Não sei, eu sou da CSN". Sobre o futuro político, respondeu: "Olho para 2018 com muito carinho, mas nesse momento estou ocupado em trabalhar bem na CSN".

Candidato a presidente duas vezes, pelo PPS, Ciro Gomes ficou em terceiro lugar em 1998 e em quarto lugar em 2002. Foi ministro da Integração Nacional do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2003, filiou-se ao PSB. Em 2013, mudou para o PROS, com o irmão, também ex-governador do Ceará Cid Gomes.

O governo do Rio e a CSN negociam uma saída para o pagamento da dívida da empresa com o Estado. "Queremos ajudar a administração do governador Pezão, acreditamos que o governador está fazendo muito bem o seu trabalho", elogiou o ex-governador do Ceará. 

Ciro chegou ao Palácio Guanabara pouco depois de os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), e do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), deixarem a sede do governo fluminense, onde se reuniram durante quatro horas com Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Tudo o que sabemos sobre:
Ciro Gomeseleições 2018

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.