Ciro Gomes diz que FHC tem medo da CPI

O presidenciável do PPS, ex-ministro Ciro Gomes, qualificou, nesta quinta-feira, de "argumento fascista" aafirmação do presidente Fernando Henrique Cardoso de que o Congresso deveria primeiro "arrumar a Casa" para depois pensarem CPI da Corrupção.Ciro Gomes fez a afirmação em entrevista após participar da convenção nacional do PDT, na qual opartido renovou os nomes de alguns diretores."Isso daí (a declaração de Fernando Henrique), na boca do ministro Leitão deAbreu (ministro-chefe da Casa Civil no governo do presidente João Figueiredo), na época da ditadura, era perfeito, mas na bocade Fernando Henrique fica esquisito", criticou Ciro Gomes."O Congresso Nacional é hoje uma instituição respeitável", avaliou oex-ministro, acrescentando: "O problema, lá, são três ou quatro pessoas, todas elas articuladas, protegidas e ligadas aopresidente Fernando Henrique Cardoso."Na avaliação de Ciro Gomes, o Congresso é uma instituição "respeitabilíssima" e pode"fazer a limpeza", sem prejuízo de se realizar uma CPI para investigar as denúncias de corrupção no governo federal.Nainterpretação do ex-ministro, Fernando Henrique não quer a CPI "porque tem medo, porque têm coisas, aí, que ele nãoconsegue explicar, desde a época da compra de votos para aprovação da emenda da reeleição".Ao final da convenção, opresidente nacional do PDT, Leonel Brizola, disse que Ciro Gomes havia comparecido "como convidado especial, e não paratratar de aliança".Brizola disse que o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB) também foi convidado, mastelefonou dizendo que não poderia comparecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.