Ciro Gomes diz que apoiará anistia a Dirceu no Congresso

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) afirmou nesta segunda-feira, em Fortaleza, antes de embarcar para Brasília, que dará total apoio a qualquer iniciativa no Congresso Nacional que assegure anistia ao ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado José Dirceu. "Se o projeto vier, eu voto a favor porque não vi nenhuma culpa objetiva nele (Dirceu) e ele já disse o que é mais correto: está aguardando o julgamento do Supremo Tribunal Federal. Se absolvê-lo, então ficará claro que a culpa dele não era objetiva", disse. Cassado em 1º de dezembro de 2005, sob suspeita de envolvimento no esquema do mensalão, José Dirceu perdeu os direitos políticos e ficou inelegível até 2015. O ex-ministro nega a acusação e diz que as investigações não levantaram provas documentais contra ele. O deputado cassado tem planos de voltar à cena política e vem articulando sua anistia ainda este ano. Dirceu depende de um projeto de lei que precisa ser apresentado na Câmara. A proposta pode ser de um deputado apenas ou da sociedade - como planeja o ex-ministro. Caso a iniciativa seja da sociedade, Dirceu precisa de nada menos que 1,5 milhão de assinaturas, o que, segundo ele, lhe daria respaldo popular para voltar. De todo o jeito, o projeto de anistia precisa entrar na pauta e ser votado. Com a vitória do petista Arlindo Chinaglia na presidência da Câmara, poderá ser mais fácil para o deputado cassado conseguir o ´perdão´ e retomar seus direitos políticos. Na noite da última quinta-feira, a Juventude do PT lançou informalmente a campanha de anistia para Dirceu. Crítica à imprensa Ciro fez questão de ressaltar que sua preocupação hoje é aprender a ser um bom parlamentar e, para não fugir ao velho estilo, fez críticas à imprensa. "Apesar de parte da imprensa gostar só de mostrar os malfeitos que, infelizmente, existem mesmo no Congresso, há um esforço enorme acumulado de refletir ali sobre os problemas do Brasil. Eu vou aprender. Vou passar uns dois meses olhando como funciona". Perguntado se já teria algum projeto, respondeu que existem "muitos na cabeça", mas que ainda não apresentará nenhum agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.