Ciro Gomes critica escolha de Tebet

O ex-ministro da Fazenda e candidato do PPS à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou, nesta segunda-feira, que a escolha do senador Ramez Tebet para presidir o Senado "é uma desmoralização final do Congresso".Para Ciro, a crise que ocorreu no Senado e a posterior escolha de Tebet para comandá-lo é de responsabilidade do presidente Fernando Henrique Cardoso.O candidato do PPS participou, nesta segunda-feira, na sede do PTB no Rio, de uma homenagem ao pai do atual prefeito de Niterói, Jorge Roberto da Silveira (PDT) - o ex-governador do antigo Estado do Rio, Roberto da Silveira, que morreu na década de 60 em um acidente de helicóptero.Segundo Ciro, há outros nomes no Senado que têm uma importância maior dentro do cenário político nacional e que não foram cogitados. "Acho que é uma desmoralização final. Entre tantos senadores não puderam encontrar um, tiveram de chamar de volta na véspera um que não é propriamente um senador que tenha uma contribuição mais notória ao debate político nacional para fixar-se ali. Acho que o outro lado acabou errando, quando poderia ter se reunido e disputado com outro candidato", criticou.Ele disse considerar "positivo" o crescimento do nome da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), nas pesquisas sobre as intenções de votos para eleições presidenciais de 2002. Na últimas pesquisas, Roseana aparece com 12% das intenções de voto, enquanto o candidato do PPS está com 14%.Luiz Inácio Lula da Silva lidera a lista com 31%, e o ministro da Saúde, José Serra, fica com 7%. "Acho que é uma boa coisa para o debate brasileiro. Ela (Roseana) tem feito um governo no Maranhão com algumas virtudes. É uma pessoa muito delicada, muito hábil. É uma boa presença no debate", afirmou o ex-ministro Ciro, que disse considerar estimulante os últimos números para a disputa do Palácio do Planalto.Ele ressaltou, no entanto, que "pesquisa é retrato de um momento". "De qualquer forma para mim, é estimulante porque quem tem corte harmônico no país inteiro é o Lula, somos nós e a Roseana, que está melhorando. Ela tem valor. Se ela for candidata...Mas isso é problema do arraial governista. Não é meu. Para mim, é indiferente.Com relação ao PDT, ele disse que continua negociando o apoio do partido de Leonel Brizola. "Estamos discutindo a questão regional e vamos discutir um programa comum", informou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.