Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Ciro: 'Do jeito que vai, capital político de Bolsonaro não dura seis meses'

Ex-ministro criticou o presidente Jair Bolsonaro e os ministros Paulo Guedes, Sergio Moro e Onyx Lorenzoni

Gregory Prudenciano, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2019 | 17h20

Terceiro colocado nas eleições presidenciais de 2018, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) criticou o governo do presidente Jair Bolsonaro, ao qual atribuiu um "potencial de confusão enorme", em referência ao fato de ter desmentido que iria aumentar o IOF. "Do jeito que vai, o capital político de Bolsonaro não dura seis meses", afirmou Ciro em entrevista dada à rádio Assunção, de Fortaleza.

Ciro Gomes disse ainda que o presidente é "refém do Paulo Guedes", ministro da Economia, a quem atribuiu "uma visão equivocada da questão estratégica da economia brasileira", e que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi um "juiz exibicionista". Ciro ainda criticou a condução de Onyx Lorenzoni na Casa Civil e duvidou da continuidade do ministro no governo: "O Onyx não vai permanecer".

O PT também foi alvo das críticas de Ciro, que diz que fará oposição a Bolsonaro, mas "respeitando a democracia". Ciro defendeu  a candidatura de Tasso Jereissati (PSDB-CE) à presidência do Senado, em oposição a Renan Calheiros (MDB-AL), e criticou um possível apoio do PT ao senador alagoano. Para Ciro, o PT "vai reeleger Renan" a despeito das críticas do partido a ele. 

Mais conteúdo sobre:
Ciro GomesJair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.