Ciro diz que é 'cretino' politizar doença de Dilma

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) pediu hoje "respeito humano" diante da doença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que tornou público na semana passada ter se submetido a uma intervenção cirúrgica para retirada de um linfoma e que passaria por sessões de quimioterapia para combater o câncer. O deputado criticou qualquer tentativa de politizar a doença. "Acho cretino, desumano e cruel especular sobre um assunto desse tipo no contexto desumano da política", declarou o deputado. Ciro mostrou confiança na recuperação de Dilma e disse que, em agosto, quando está previsto o término do tratamento, a ministra e pré-candidata do PT à presidência da República "estará firme e forte para qualquer tarefa".

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

01 de maio de 2009 | 12h06

Ao comentar também a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou ontem a Lei de Imprensa, o deputado afirmou que o texto datado do período do regime militar era "uma impertinência". "A democracia é um regime de responsabilidade e nada substitui o cidadão". Ciro é um dos convidados pela Força Sindical para participar do ato político que vai abrir as comemorações do 1º de Maio, na Praça Campo de Bagatelle, zona norte de São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
DilmadoençaGiro Gomes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.