Ciro diz que é 'cretino' politizar doença de Dilma

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) pediu hoje "respeito humano" diante da doença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que tornou público na semana passada ter se submetido a uma intervenção cirúrgica para retirada de um linfoma e que passaria por sessões de quimioterapia para combater o câncer. O deputado criticou qualquer tentativa de politizar a doença. "Acho cretino, desumano e cruel especular sobre um assunto desse tipo no contexto desumano da política", declarou o deputado. Ciro mostrou confiança na recuperação de Dilma e disse que, em agosto, quando está previsto o término do tratamento, a ministra e pré-candidata do PT à presidência da República "estará firme e forte para qualquer tarefa".

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

01 de maio de 2009 | 12h06

Ao comentar também a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou ontem a Lei de Imprensa, o deputado afirmou que o texto datado do período do regime militar era "uma impertinência". "A democracia é um regime de responsabilidade e nada substitui o cidadão". Ciro é um dos convidados pela Força Sindical para participar do ato político que vai abrir as comemorações do 1º de Maio, na Praça Campo de Bagatelle, zona norte de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmadoençaGiro Gomes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.