Ciro diz que é contra indicação de seu nome a vice de Lula

O ex-ministro Ciro Gomes disse nesta terça-feira, em Santos, que, a exemplo de alguns setores do PT e do PMDB, também é contra a indicação de seu nome como vice na chapa do presidente Lula. "Eu também sou contra o meu nome", comentou. Deixou de responder a uma pergunta sobre se aceitaria a indicação caso fosse o convidado, alegando que o repórter não poderia induzi-lo "a cometer uma grosseria".Ciro Gomes explicou que seu plano é se eleger deputado federal pelo Ceará e que irá colaborar "para o êxito de uma possível candidatura do presidente Lula." Na seqüência, deu sua opinião sobre a escolha do vice, "um cargo da estrita confiança do Presidente da República". "Se ele ouvisse um palpite meu, deveria reconduzir o atual vice-presidente José Alencar por todos os seus méritos e, seguindo palpitando, o que sem impõe até a exaustão é o esforço para incorporar uma aliança com o PMDB."Caso nenhuma dessas alternativas dê certo, ele propõe alguns nomes, como o do ex-ministro das Ciências e Tecnologias, Eduardo Campos (PSB), além dE Aldo Rebelo (PCdoB).Ao lado do pré-candidato do PSB à presidência, o advogado santista Sérgio Sérvulo da Cunha, Ciro Gomes defendeu que os candidatos definam o compromisso com uma agenda objetiva em torno de três reformas, a tributária, a previdenciária e a política. "A não equação desses três problemas constitui um câncer em metástase no destino nacional. Cada um desses problemas não tratados oportunamente, como não estão sendo, tem o condão, sozinho, de inviabilizar o Brasil."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.