Ciro descarta SP e mantém candidatura à Presidência

Deputado do PSB atribuiu mudança de título de eleitor para São Paulo a 'apelo' do presidente Lula

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo,

02 de fevereiro de 2010 | 21h01

 

BRASÍLIA - O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) voltou a Brasília nesta terça-feira, 2, reafirmando sua disposição de disputar a Presidência da República. "Mantenho a minha candidatura. Pretendo ser candidato à Presidência da República para explorar ao máximo a complexidade e a riqueza do sistema de dois turnos", afirmou o deputado, em entrevista ao Estado.

 

Veja Também

linkLula quer Ciro engajado na campanha de Dilma

linkCNT/Sensus mostra empate técnico entre Serra e Dilma

 

Derrotado duas vezes na disputa pela Presidência da República (em 1998 e 2002), Ciro garantiu que só deixará de ser candidato ao Palácio do Planalto se o seu partido assim quiser. O deputado disse que não será candidato ao governo de São Paulo e contou que só transferiu o seu título de eleitor para São Paulo por causa de um pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

"O Lula me fez um apelo para transferir o título para São Paulo. Alegou que isso ajudaria a arrumar o quadro lá. Não sou candidato ao governo de São Paulo e falei isso para o Lula", afirmou.

 

Na entrevista, Ciro Gomes considerou "golpistas" às articulações do ex-ministro José Dirceu na promoção de alianças estaduais.

 

A candidatura do deputado é um dos pontos chaves da pesquisa CNT/Sensus divulgada na segunda-feira, 1º. No cenário com Ciro, a pré-candidata do PT à Presidência, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) aparece em empate técnico com o provável postulante do PSDB, o governador de São Paulo, José Serra. Sem Ciro na disputa, Serra poderia levar a eleição já no primeiro turno.

 

O Planalto e a cúpula do PT avaliam, entretanto, que esse cenário não se sustenta. Para os articuladores da campanha petista, em qualquer situação a distância entre Dilma e Serra está caindo. Por isso, em conversa que terá com Ciro nos próximos dias, Lula deve dizer ao ex-ministro da Integração que deseja não apenas o aval, mas a participação efetiva dele em atividades da campanha de Dilma.

 

Leia a íntegra da entrevista com Ciro Gomes em O Estado de S.Paulo desta quarta-feira, 3.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.