Ciro defende aliança com PTB e ataca Serra

O presidenciável Ciro Gomes (PPS) não descarta a possibilidade da aliança entre o PPS e o PTB se esvaziar. "Na política, tudo é possível", disse Ciro, durante a convenção estadual do PPS, em Fortaleza. Ele, no entanto, se autodenominou "um homem de boa fé" e que costuma acreditar na palavra "dos homens". E afirmou em seguida: "Não vejo nada que justifique, que a gente reveja essa aliança". Ciro criticou novamente o ministro da Saúde e um dos fortes postulantes a candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra. "De todos os candidatos o mais flagrantemente continuísta, aquele que mais gravemente poderia projetar para o futuro essas mazelas do descompromisso com a produção, com a miséria brasileira e com o compromisso mais íntimo, mais promíscuo com o patrimonialismo, com os interesses estrangeiros no Brasil é o senhor José Serra", atacou. E ainda acusou Serra de se aproveitar politicamente do cargo. "O atual Ministério da Saúde mantém 111 programas de investimentos. Todos eles têm uma verba menor que os R$ 77 milhões que, até outubro, o ministro gastou com propaganda".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.