Ciro considera 'estranho' concorrer ao governo de São Paulo

A três semanas do prazo dado por Lula, deputado é enfático ao dizer que pretende concorrer à Presidência

Agencia Estado

02 de setembro de 2009 | 00h38

A três semanas do fim do prazo dado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que decida transferir seu domicílio eleitoral, se quiser disputar o governo de São Paulo com o apoio do PT, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) é enfático ao assegurar que a mudança não está nos seus planos. Ressalva, porém, que não pode levar em conta unicamente suas aspirações e ignorar os planos do partido e do grupo político a que pertence.

 

Veja Também

linkCiro reitera intenção de se candidatar à presidência

 

Ciro diz que considera "estranha" a opção de mudar o domicílio e que, se depender unicamente da sua vontade, será candidato à presidência da República pela terceira vez. "Eu próprio estranho", admite, sobre a troca do domicílio. "Eu nunca pretendi isso, não planejo isso, não desejo isso, tem sido muito clara a minha opinião."

 

"Agora, eu faço a política em projetos, em grupo, no partido, e estão ouvindo minhas ponderações, mas eu não sou o dono da verdade", acrescenta. O deputado lembrou que o prazo do dia 20 deste mês foi solicitado pelo presidente do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, na última conversa que tiveram com Lula. "O Eduardo pediu ao presidente 30 dias (para resolver sobre a troca do domicílio) e eu dei ao partido, como é minha obrigação, o direito e o dever de resolver."
Tudo o que sabemos sobre:
Cirodomício eleitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.