Cingapura ordena megaquarentena contra vírus

Cingapura determinou, a partir desta terça-feira, que 740 de seus cidadãos fiquem recolhidos em casa, na maior quarentena de que se tem notícia. O objetivo é tentar conter o vírus da pneumonia atípica que já matou 17 pessoas em todo o mundo. Somente em Cingapura, que tem população de 4 milhões de pessoas, 65 estão infectadas com o vírus da doença, identificada como Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars).O governo cingalês também fechou uma creche e uma escola secundária como parte da ofensiva contra a doença. Em ambas, crianças apresentaram sintomas da síndrome. O ministro da Saúde, Lim Hng Kiang, disse na segunda-feira que o país está se valendo de prerrogativas contidas na Lei de Moléstias Infecciosas, pela primeira vez desde sua independência, em 1965. As 740 pessoas forçadas à quarentena podem ter sido expostas ao vírus da Sars. Elas devem ficar em casa por dez dias, sob pena de sofrerem processo judicial em caso de desobediência. O Ministério da Saúde pediu à população que se prepare para possíveis óbitos em decorrência da Sars.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.