Cientistas decifram o genoma da lagarta da soja

Uma parceria envolvendo pesquisadores da Embrapa e das universidades de São Paulo (USP), de Brasília (UnB), de Mogi das Cruzes (UMC) e da Flórida (EUA) concluiu o sequenciamento do genoma do vírus da lagarta d a soja (Baculovirus anticarsia ou nucleopoliedrovírus de Anticarsia gemmatalis). O trabalho será apresentado quinta e sexta-feira no workshop que se realiza na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Cenargen), em Brasília.Ao lado dos trabalhos de desenvolvimento de bioinseticidas para uso em campo, a Embrapa, segundo informa Agência Brasil,em conjunto com aquelas universidades, decidiu estudar o genoma do B. anticarsia. O vírus da lagarta da soja foi isolado no Brasil no final da década de 1970 por uma equipe chefiada pelo pesquisador Flávio Moscardi, da Embrapa Soja (Londrina-PR). No início da década de 80 começou a ser empregado no maior programa de controle biológico de pragas do mundo. Hoje, cerca de 2 milhões de hectares de soja são tratados, por ano, com produtos à base de B. anticarsia para reduzir a infestação da lagarta da soja, que é a principal praga dessa leguminosa em todas as regiões do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.