Cidade de SP terá R$ 8,1 bi do governo Dilma para obras

A presidente Dilma Rousseff confirmou, nesta quarta-feira, 31, a liberação de R$ 8,1 bilhões para obras de mobilidade urbana, infraestrutura e habitacionais na cidade de São Paulo, em um sinal de apoio ao prefeito Fernando Haddad, um dos principais alvos da onda de protestos iniciada no País em junho. Os recursos visam, principalmente, melhorar o transporte na cidade, foco das manifestações que também derrubaram a popularidade da própria presidente. "Vim anunciar mais uma contribuição do governo federal para o enfrentamento desses problemas", disse Dilma.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agência Estado

31 de julho de 2013 | 12h45

Do total anunciado, R$ 3 bilhões serão para obras de mobilidade, R$ 1,4 bilhão para drenagem e R$ 2,2 bilhões para recuperação de mananciais das represas Billings e Guarapiranga, que abastecem o município. "Para que a população não perca moradia nas obras, colocamos R$ 1,5 bilhão em moradias do Minha Casa, Minha vida. Moradia é elemento que distingue obras sustentáveis e não sustentáveis", disse a presidente.

Ela avaliou ainda que estará contribuindo para que haja efetiva melhoria nas condições de vida da população paulistana, município classificado por ela como uma das "megacidades" mundiais com maiores problemas de transporte metroviário. "Temos a maior cidade do mundo com menor sistema metroviário do mundo e precisamos encarar esse desafio com todas as armas", afirmou. Dilma classificou ainda a criação das megacidades como um dos principais fenômenos que caracterizam o século 21, como as redes sociais.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.