Facebook Fernando Cury / Reprodução
Facebook Fernando Cury / Reprodução

Cidadania afasta deputado Fernando Cury após denúncia de assédio na Alesp

Presidente do sigla diz que episódio é ‘grave’; deputada vítima afirma que Alesp tem de cassar mandato do parlamentar

Adriana Ferraz, Bianca Gomes e Rodrigo Sampaio, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2020 | 16h11
Atualizado 18 de dezembro de 2020 | 20h43

O Cidadania anunciou nesta sexta-feira, 18, o afastamento do deputado estadual Fernando Cury, acusado de assédio sexual contra a deputada Isa Penna (PSOL) durante uma sessão na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Segundo documento assinado pelo presidente nacional do partido, Roberto Freire, Cury ficará afastado até a conclusão do procedimento disciplinar que tramita na legenda.

“O deputado estadual Fernando Cury fica liminarmente afastado de todas as funções diretivas partidárias, em todas as instâncias, bem como de todas as funções exercidas em nome do Cidadania, inclusive junto à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo”, diz o documento, que classificou o episódio envolvendo o parlamentar como “grave”. 

Em nota, Cury disse não ter sido informado oficialmente pelo partido a respeito de seu afastamento. “Também ressalto que não houve qualquer notificação de procedimento interno do Conselho de Ética, e por isso, tão logo seja formalmente comunicado, irei apresentar a versão dos fatos, exercendo assim meu direito de defesa.”

O vídeo do momento do assédio foi transmitido ao vivo pelo canal da Alesp no YouTube. Nele, Isa Penna aparece conversando com o presidente da Casa, Cauê Macris (PSDB), quando Cury se aproxima da Mesa Diretora e se posiciona atrás da deputada, colocando a mão na lateral de seus seios. Em seguida, a parlamentar empurra o deputado para afastá-lo de seu corpo. 

Nesta sexta, a deputada anunciou o lançamento de um manifesto com abaixo-assinado em que pede a cassação de Cury. Segundo nota oficial, a iniciativa foi necessária pois a Comissão de Ética da Assembleia, composta por uma mulher e cinco homens, pautaria o caso somente para março próximo. “O silêncio do governador, João Doria, e do presidente da Alesp, Cauê Macris, apontam que o plano é empurrar o caso para debaixo do tapete”, disse Isa nas redes sociais. Isa disse que quer a cassação de Cury, mas não por vingança. Ela afirmou que vai buscar neste momento promover um “diálogo” com a sociedade sobre a violência contra a mulher.

Macris afirmou, por meio de assessoria de imprensa, que a Casa tomou as medidas necessárias com a abertura imediata de um processo no Conselho de Ética assim que a denúncia foi feita pela deputada do PSOL. Procurado por meio de assessoria de imprensa, o governador não havia se manifestado até a publicação deste texto.

O boletim de ocorrência eletrônico e a representação no Conselho de Ética da Alesp foram feitos na quinta-feira, mas o boletim presencial, que seria feito nesta sexta, acabou sendo adiado por orientação da equipe jurídica da parlamentar.

Na quinta-feira, Cury foi à tribuna e disse estar “constrangido” e “triste” e se desculpou pelo que chamou de “abraço”. “Gostaria de frisar que não houve, de forma alguma, tentativa de assédio”, afirmou. “Eu nunca ia fazer isso na frente de 100 deputados.” 

Perfil

Natural de Botucatu, Fernando Cury está em seu segundo mandato na Assembleia Legislativa do Estado. Foi reeleito em 2018 com aproximadamente 100 mil votos. Apesar de membro da bancada ruralista, é membro efetivo da Comissão de Saúde na Casa e tem como destaque a autoria da Lei 16.790/2017, que institui a Semana Estadual de Prevenção, Controle e Combate ao Diabetes, entre os dias 8 e 14 de novembro, e da Lei 16.790/2018, que cria o Sistema Paulista de Cadastro e Doação de Medula Óssea. 

Aos 41 anos de idade, Cury é oriundo de uma família tradicional na política. Seu pai, Antônio Jamil Cury, foi o prefeito de Botucatu por 10 anos, comandando a cidade de 1983 a 1988, e 1993 a 1996. Seu irmão, João Cury, esteve à frente do município por dois mandatos consecutivos, entre 2009 e 2016, e é o atual presidente do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp).

Em seu site oficial, mantém com destaque uma foto dele com seus dois filhos e a sua mulher sobre o título: “Um trabalho dedicado a melhorar a vida das pessoas”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.