Cid Gomes diz que não troca o PSB pelo Solidariedade

O presidente estadual do PSB, o governador do Ceará, Cid Gomes, recebe nesta terça-feira, 3, Para almoço, no Palácio da Abolição, sede do Governo, em Fortaleza, o deputado federal Paulinho da Força (PDT-SP). No cardápio do encontro estarão as eleições de 2014. Paulinho oferecerá a Cid a indicação para comandar o novo Partido da Solidariedade. Nesta segunda-feira, 2, durante evento para jovens no Palácio da Abolição, Cid Gomes descartou saída do PSB para o Solidariedade. "Não tem essa história de saída do PSB. Vou receber o Paulinho, porque temos uma relação boa desde quando ele foi vice na chapa presidencial de Ciro Gomes", disse Cid.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

02 de setembro de 2013 | 19h37

O governador afirmou que "não cogito sair do PSB. Não é porque tenho opinião discordante em relação a segmentos do partido que vai fazer com que eu saia. Não sou candidato a nada, não tenho nenhuma angústia, nenhuma aflição partidária. Vou ficar no PSB e vou lutar no PSB pra defender o que eu penso".

Cid Gomes está desconfortável no PSB desde que o presidente nacional, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, recebeu o presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), para conversar sobre 2014. Cid chegou a postar em sua conta nas redes sociais (facebook e twitter): "Linha auxiliar do PSDB. Será este o papel do PSB em 2014?"

O almoço com Paulinho é cercado de expectativas, pois Cid deve indicar quem vai comandar o Solidariedade no Estado. O nome mais provável é do seu secretário de Desenvolvimento Econômico, Alexandre Pereira, hoje presidente do PPS no Ceará, que deve participar do almoço ao lado do vice-governador Domingos Filho (PMDB) e do ex-ministro Ciro Gomes (PSB). Há rumores que pelo menos quatro deputados estaduais do PMDB possam migrar para o Solidariedade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.