Chuva pode atrapalhar cerimônia de posse de Lula

A chuva pode atrapalhar a cerimônia de posse do presidente Lula. Depois de um breve intervalo no início da manhã desta segunda-feira, em Brasília, a chuva volta a cair nesta tarde, pouco antes do início da programação da cerimônia de posse. Se o tempo continuar assim, Lula e o vice, José Alencar, seguirão, acompanhados de suas respectivas esposas, em carros fechados para o Congresso Nacional. Eles serão recebidos pelos presidentes da Câmara, Aldo Rebelo (PcdoB-SP), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). No plenário da Câmara, Lula vai discursar após a leitura do Termo de Posse e de prestar o compromisso constitucional. Devido ao mau tempo, a execução do Hino Nacional pela Banda do Batalhão da Guarda Presidencial, seguida da salva de 21 tiros e revista às tropas, serão canceladas.Às 17h30, Lula seguirá para o Palácio do Planalto, onde fará um segundo pronunciamento. Para a festa foram convidadas 1,8 mil pessoas. Segundo informações da Agência Brasil, treze governadores confirmaram presença na cerimônia de posse: - Alcides Rodrigues (PP), de Goiás; - Ana Júlia Carepa (PT), do Pará; - Binho Marques (PT), do Acre; - Blairo Maggi (PPS), do Mato Grosso; - Cid Gomes (PSB), do Ceará; - Jaques Wagner (PT), da Bahia; - José Roberto Arruda (PFL), do Distrito Federal; - Marcelo Miranda (PSDB), do Tocantins; - Roberto Requião (PMDB), do Paraná; - Sérgio Cabral (PMDB), do Rio de Janeiro; - Waldez Góes (PDT), do Amapá; - Wellington Dias (PT), do Piauí; - Yeda Crusius (PSDB), do Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.