Chuva dificulta chegada de manifestantes ao Supremo em Brasília

Chuva dificulta chegada de manifestantes ao Supremo em Brasília

Faltando pouco mais de uma hora para o início da sessão, havia movimento apenas nas entradas do STF

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

04 Abril 2018 | 13h22

BRASÍLIA – A chuva forte que caía em várias regiões da capital federal atrapalhava o deslocamento de grupos que se dirigiam para as imediações do Supremo Tribunal Federal (STF) para acompanhar o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O eixo monumental estava bloqueado para o trânsito na altura da Catedral, mas não havia revista de pessoas. Apenas as vias anexas estavam abertas, o que tornou o trânsito caótico. Oito viaturas da Polícia Militar guarneciam os acessos, mas o movimento de pessoas era muito pequeno. Dois helicópteros se revezavam em voos sobre a Esplanada dos Ministérios. 

Faltando pouco mais de uma hora para o início da sessão, havia movimento apenas nas entradas do STF, de advogados, estudantes de direito, jornalistas e pessoas que pretendiam ingressar no recinto.

+ Gilmar Mendes já avisou Carmen Lúcia sobre antecipação do voto

O autônomo João Pedro Eustáquio, morador de Brasília, passou pelo local por curiosidade. “Acho que demorou para prender esse cara”, disse, referindo-se a Lula. O casal que se identificou apenas como João Carlos e Ana Paula, ambos analistas de sistemas, viajou de São Paulo para acompanhar o julgamento. “Estamos aqui para defender o Lula, que vocês da mídia só massacram. Acho que todo Brasil deveria estar aqui”, disse ela.

+ Presidenciáveis se dividem sobre declarações de comandante do Exército

O habeas corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o primeiro item a ser julgado pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) na tarde desta quarta-feira, 4. A sessão começa às 14h e acontece no prédio sede do STF, em Brasília. O julgamento será transmitido pelo canal do tribunal no YouTube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.