'Churrasqueiro de Lula' depõe e nega receber verba do governo

Lorenzetti foi convocado para depor na CPI das ONGs por suspeita de receber R$ 3,4 mi via Unitrabalho

Agência Brasil,

05 de março de 2008 | 11h20

A CPI das ONGs ouviu nesta quarta-feira, 5, o depoimento do ex-diretor da Unitrabalho, Jorge Lorenzetti, que também ficou conhecido como churrasqueiro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. no episódio de compra de um dossiê contra os tucanos. Ele é um dos envolvidos no escândalo da compra de dossiê, por R$ 1,7 milhão,com supostas denúncias contra candidatos tucanos nas eleições de 2006.   Veja também:   MP pede quebra de sigilo bancário de presidente da Finatec 'Finatec poderia ter rejeitado reforma', diz reitor da UnB à CPI CPI das ONGs deve mirar fundações de universidades     Ao iniciar o depoimento, Lorenzetti disse que a Unitrabalho "foi vitima de uma denúncia falsa, vazia". Lorenzetti afirmou que entre 1996 e 1998 participou da implantação da ONG e de 2001 a 2005 passou a ocupar a área de assuntos internacionais da entidade. "Não fiz nenhuma gestão em relação a projetos específicos da Unitrabalho com o governo federal. Não fiz uma reunião e não mandei nenhum e-mail. Estava cuidando da área internacional", afirmou.   Lorenzetti foi convocado pelo senador Álvaro Dias (PSDB-PR) para que explique por que na véspera do episódio da compra do dossiê a Unitrabalho recebeu R$ 3,4 milhões do Ministério do Trabalho. A CPI também vai ouvir outro diretor da ONG, Arquimedes Ciloni e o promotor de Justiça de São Paulo, Airton Grazzioli.   "Que eu me lembre, nesse período não foi assinado nenhum convênio de cessão de recursos para a Unitrabalho. Não tive nenhuma participação em projetos da área nacional no atual governo. Nenhum tipo de participação", continuou Lorenzetti em sua defesa.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI das ONGsJorge Lorenzetti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.