Chinaglia protesta contra agressão sofrida por Jungmann

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), enviará um ofício ao 1º vice-presidente do Senado, Tião Viana (PT-AC), para registrar o protesto do deputado Raul Jungmann (PPS-PE) pela agressão sofrida hoje. Ao tentar entrar no plenário do Senado, Jungmann e Fernando Gabeira (PV-RJ) foram impedidos pela segurança. Houve confronto e agressão entre parlamentares e servidores.Jungmann, que participou da confusão na porta do Senado, procurou Chinaglia para pedir providências. Após informar o senador Viana, Chinaglia disse que vai aguardar as medidas que o Senado adotará. "Se isso tivesse acontecido na Câmara, seria aberta uma sindicância para apurar os fatos, porque é inadmissível o fato de parlamentares serem agredidos no Congresso", disse Chinaglia.A confusão foi gravada e reproduzida por diversas emissoras de TV. "As imagens falam por si", disse Chinaglia, que ressaltou ser preciso apurar o que de fato ocorreu. "De qualquer forma, qualquer segurança tem comando e hierarquia, então eles tinham a obrigação de saber que os deputados tinham liminar para entrar no plenário do Senado", disse Chinaglia. Esta informação está no site da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.