Chinaglia minimiza prazo do DEM para demitir 'infiel'

Britto Neto teve mandato cassado por infidelidade partidária; Câmara ainda não empossou o suplente

Agência Brasil

20 de novembro de 2008 | 16h36

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), minimizou nesta quinta-feira, 20,  a decisão do Democratas, que deu prazo de 15 dias para que o suplente do deputado Walter Britto Neto (PRB-PB) tome posse.  Veja também:Leia a íntegra do voto do relator Joaquim BarbosaVeja a cronologia e entenda a fidelidade partidáriaJudiciário 'legisla' nas brechas que tem, diz analista; ouça "Eu acho que eles (membros do PRB) têm a legitimidade de reivindicar o mandato, a legitimidade de tomar a iniciativa que quiser tomar. Da minha parte, eu também vou continuar trabalhando com essa mesma tranqüilidade, fazendo consultas, ouvindo inclusive outros parlamentares para além da Mesa", disse. Walter Britto Neto teve o mandato cassado por infidelidade partidária. A Câmara, no entanto, ainda não empossou o suplente. Recurso decidido na Comissão de Constituição e Justiça atesta que o suplente só pode tomar posse depois de o caso ter sido transitado em julgado no Supremo Tribunal Federal e não no Tribunal Superior Eleitoral, como foi o caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Arlindo ChinagliaDEMinfiel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.