Chinaglia incluirá voto secreto na pauta de terça-feira

Antes de embarcar para Belo Horizonte, em Minas Gerais, o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), anunciou nesta sexta-feira, 9, que vai incluir na pauta de votações da próxima terça-feira, 13, a proposta de emenda constitucional (PEC) que acaba com o voto secreto nos processos de cassação de mandatos de parlamentares.Chinaglia disse que está "absolutamente tranqüilo" em relação à votação de quinta-feira, 8, do requerimento que impediu a instalação da CPI do Apagão Aéreo, transferindo para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) uma decisão a respeito do assunto.O encaminhamento da decisão à CCJ irritou os oposicionistas na Câmara, que o definiram como estratégia do governo para impedir de vez a instalação da CPI e anunciaram que passarão a obstruir as votações na Casa.Chinaglia disse não temer que o episódio venha a prejudicar a votação, em plenário, de projetos de interesse do Executivo. "Eu respeito o trabalho de todos e, portanto, aquilo que for regimental quem tiver maioria leva", afirmou. "Vai ser simples assim."O deputado reafirmou que se comportou "democraticamente" na sessão de quinta-feira em relação à questão da CPI. Ele evitou comentar as três representações apresentadas pelo PSOL ao Conselho do Ética da Câmara pedindo a reabertura de processos contra três deputados reeleitos em outubro - Paulo Rocha (PT-PA), Waldemar Costa Neto (PR-SP) e João Magalhães (PMDB-MB). Os dois primeiros foram acusados, no mandato anterior, de envolvimento no mensalão; e Magalhães era suspeito de associação ao esquema das sanguessugas."Eu não creio que o clima da legislatura passada, que teve altíssimas temperaturas, vá se repetir nesta legislatura", observou o presidente da Câmara. O deputado passa o dia em Belo Horizonte onde terá um encontro com o prefeito da cidade, Fernando Pimentel (PT).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.