Chinaglia: governo está aberto para mudanças nas MPs

O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse hoje que a reunião que terá à noite com o presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), na qual vão analisar as mudanças em discussão na tramitação das medidas provisórias, representa o início de encontros que pretende promover entre deputados e senadores para aproximar posições do governo e da oposição. Chinaglia assegurou que o governo não está fechado a essa discussão. "Não é possível que Câmara e Senado não tenham condições de fazer sua própria pauta porque há medidas provisórias que a trancam", assinalou.Segundo o presidente da Câmara, a discussão do rito das MPs não impede a tramitação da reforma tributária. "Temos de ter capacidade de tocar os assuntos ao mesmo tempo. A reforma tributária é imperiosa e existem condições de votá-la ainda no primeiro semestre, se conseguirmos contornar as obstruções das medidas provisórias", previu.Ele discordou da proposta do vice-líder do governo, Henrique Fontana (PT-RS), de aproveitar a discussão do processo das medidas provisórias para analisar também mudanças no regimento interno da Câmara. "Há seis meses propus aos líderes que se tivessem sugestões para mudar o regimento que o fizessem naquela ocasião. Não quero misturar os assuntos", concluiu.As declarações de Chinaglia foram dadas na abertura de seminário na Câmara sobre reforma tributária, promovido pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.