Chinaglia: Espanha se comporta como na época da conquista

O presidente da Câmara dos Deputados,Arlindo Chinaglia (PT-SP), pediu respeito aos brasileiros queviajam à Espanha e disse que o país ibérico não pode secomportar como na época da conquista, "quando destruíaculturas". Chinaglia admite que podem existir circunstâncias deilegalidade que justifiquem uma deportação, mas disse que ocomportamento das autoridades espanholas tem se mostradoabusivo. "Manter pessoas presas por várias horas, que nãoconseguiram falar com autoridades, familiares, isso é de umabuso inaceitável", disse Chinaglia a jornalistas. "E mesmo quando houver ilegalidade, que se dê um tratamentolegal, segundo as normas internacionais, e não atitudes quelembram a Espanha que invadia nas épocas do descobrimento edestruía culturas. Acho que eles têm que entender que essa fasepassou", acrescentou o presidente da Câmara. Segundo Chinaglia, o embaixador da Espanha no Brasil deveráser convidado para prestar esclarecimentos à Câmara e ao Senadona Comissão de Relações Exteriores. "Nós deputados e brasileiros temos o dever de defender orespeito aos brasileiros, (porque isso envolve) aspectosinclusive de soberania nacional", afirmou. Chinaglia lembrou que Brasil e Espanha têm, no discurso,tentado transformar em prática parcerias estratégicas, mas quese não houver respeito pelas pessoas, "não passa de umdiscurso". O presidente da Câmara defende que essas preocupações sejamcolocadas com clareza ao embaixador para que ele leve o recadoao governo espanhol. "Eu interpreto que essa onda de expulsão de brasileirosatendeu o mercado interno espanhol de momento eleitoral, onde adisputa foi bastante difícil e a diferença pequena. Então,jogaram para os brasileiros, e possivelmente outros povos, aresponsabilidade de problemas internos deles", disse Chinaglia. Indagado se o fim das eleições espanholas colocaria umponto final na questão, Chinaglia disse que é preciso esperarpara ver. "Não posso avaliar, até porque o próprio (primeiro-ministroJosé Luis Rodrigues) Zapatero vinha governando nesse últimoperíodo. Do ponto de vista político-ideológico, até prova emcontrário, o partido socialista e setores mais progresistas dasociedade tendem a ter uma visão mais humanista. Quando falotendem a ter é porque agora depende de se confirmar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.