Chinaglia diz que vazamento de informações está generalizado

O presidente da Câmara, deputadoArlindo Chinaglia (PT-SP), disse na quinta-feira que ovazamento de informações de processos judiciais estágeneralizado e que são necessárias medidas que inibam essaprática. "Há deputados e senadores que vazam mais que chuveiro, temministros de tribunais superiores que falam mais com a imprensado que nos autos, tem Polícia Federal que age fora da lei, temMinistério Público que às vezes também abusa de suaautoridade", criticou Chinaglia. O deputado afirmou que a Câmara tem estimulado a Comissãode Constituição e Justiça a aprimorar na lei no que dizrespeito ao vazamento de informações. "Ou se acaba com o sigilo na Justiça, e para mim acabar nãotem nenhum problema, ou aqueles que vazarem para aparecer têmque ser punidos pela lei", defendeu Chinaglia, afirmando que aCâmara precisa travar esse debate. O presidente da Câmara autorizou a prorrogação da CPI daescuta telefônica por mais 30 dias e disse que se fornecessário mais tempo para a investigação, ele mesmo ou oplenário podem estender os trabalhos. "Só espero que alguns parlamentares não queiram surfardemais na onda e começar a fazer polêmica absolutamentedesnecessária", ressaltou, referindo-se às últimas operações daPolícia Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.