Chinaglia diz que Busato foi infeliz ao criticar Congresso

O líder do governo na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse nesta quinta-feira que o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, "não foi feliz" ao criticar o Congresso pela absolvição em plenário de mensaleiros condenados pelo Conselho de Ética da Câmara. Segundo ele, Busato entrou em contradição ao criticar as generalizações e usar este mecanismo para fazer uma avaliação sobre o Congresso. Disse ainda que, assim como a OAB tem suas próprias regras, o Congresso também deve ser respeitado. "Quando o plenário decide, é a democracia que está sendo exercida. Busato foi descortês com aqueles que representam a população", disse. Aécio NevesChinaglia rebateu também o governador de Minas, Aécio Neves, que disse que não consegue lembrar "de meia dúzia de figuras de expressão do PT" e disse que o partido está acabando. "Lamento pela má memória do governador Aécio Neves, mas isto faz parte da disputa eleitoral. Creio que ele tem um problema maior que é convencer o PFL a aderir de coração à campanha de Alckmin (o ex-governador e pré-candidato à Presidência Geraldo Alckmin). Talvez ele precise convencer até o próprio PSDB", provocou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.