Chinaglia deve definir relatorias do PAC na quinta-feira

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), deve anunciar na quinta-feira, 22, os relatores das oito medidas provisórias (MPs) do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Chinaglia deve definir também quem presidirá as comissões especiais que serão criadas para analisar os quatro projetos de lei que integram o programa. Somente após o anúncio do presidente da Câmara, os relatores devem começar analisar as mais de 700 emendas apresentadas por parlamentares para modificar o programa. A função do relator é analisar e dar parecer sobre as emendas oferecidas, negociando o assunto com representantes do governo e da oposição. Nas últimas semanas, Chinaglia reuniu-se com líderes partidários para negociar a distribuição das relatorias. O líder do PSDB, Antonio Carlos Pannuzio (SP), disse à Agência Brasil que o partido pediu duas relatorias. "Se o Arlindo pretende manter o critério da proporcionalidade, o que é salutar para o bom andamento da Casa, ele deveria dar ao PSDB duas relatorias", disse o tucano. De acordo com o líder do PFL, deputado Onyx Lorenzoni (RS), o presidente da Câmara teria informado que, assim como o PFL, o PSDB deverá ficar com apenas uma relatoria. Caso a afirmação seja confirmada, os partidos aliados devem ficar com as outras seis relatorias. Durante os oito anos do governo Fernando Henrique Cardoso, o PT - principal partido de oposição na época - não recebeu nenhuma relatoria de matérias prioritárias para o governo. Apesar disso, o petista Henrique Fontana (RS) pondera que a estratégia de distribuir relatorias para a oposição não prejudicará o programa. "Acho indiferente a oposição ter relatoria do PAC", disse o petista. "Vamos conversar com os relatores para fazer um texto que não prejudique o desenvolvimento do PAC."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.