Chinaglia condena lista da PF

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP) defendeu hoje que a Câmara realize audiência com representantes do Ministério Público, da Justiça e da Polícia Federal, que estão envolvidos na Operação Sanguessuga, para explicarem o vazamento de nomes de parlamentares e identificarem os que estão sob investigação no processo que apura o esquema de venda superfaturada de ambulâncias a prefeituras.Chinaglia considerou uma irresponsabilidade a mistura de pessoas supostamente envolvidas com outras, contra as quais não há nenhum indício, na documentação enviada à Câmara pela Polícia Federal de Mato Grosso. "Se tiver culpa tem de ser punido. Mas uma lista misturando os que devem e os que não devem compromete a imagem da Câmara e da democracia", afirmou Chinaglia.O líder governista disse que a Câmara tem de dar uma resposta à altura sobre esse episódio e defendeu que o presidente da Casa, Aldo Rebelo, faça um pronunciamento explicando à sociedade o que está acontecendo. "É preciso mostrar à sociedade o que há de culpa nisso. Não pode ficar todo mundo no mesmo nível", disse Chinaglia. Ele cobrou a adoção de mecanismos imediatos para identificar os parlamentares que estão sob investigação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.