Chinaglia acha difícil unir base para eleição de 2010

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), considerou muito difícil que os partidos da base estejam juntos em uma única candidatura nas eleições presidenciais de 2010, como defendeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo de ontem. Chinaglia afirmou que é muito cedo para falar na disputa presidencial e que, nas eleições municipais, cada partido deverá ter seu próprio candidato. "O fato de os partidos estarem juntos no governo federal não quer dizer que abram mão da disputa. Isso não é automático e nem obrigatório", afirmou Chinaglia, lembrando que os acordos entre os partidos poderão acontecer no segundo turno, realizado nas maiores cidades. "É uma opinião do presidente que respeito, mas não avalio que será natural, que será fácil", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.