China tem mais 9 mortos e 7 mil em quarentena

A epidemia de pneumonia asiática matou mais nove pessoas na China, informou hoje o Ministério da Saúde. O país registrou 203 novos casos da doença, dos quais 96 na capital.Com os novos dados, aumenta para 139 o número total de vítimas fatais da doença, enquanto o número de casos de pneumonia asiática, como é mais conhecida a Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars), já sobe para 3.117,adiantou o ministério.Três das mortes foram registradas em Pequim, outras três na vizinha província de Hebei, uma em Sanxi (norte), outra na Mongólia interior (norte) e a nona em Gansu (noroeste).O governo chinês anunciou também que 7.672 pessoasforam colocadas em quarentena, em dezenas de locais, sobretudo hospitais e universidades da capital chinesa, cumprindo uma promessa à Organização Mundial de Saúde (OMS).A medida é em resposta a um pedido há feito pela OMS e foi anunciada pelo secretário-geral do Partido Comunista Chinês em Pequim, Liu Qi, após uma reunião com o representante daOMS, Henk Bekedam."Se um hospital é fechado, as pessoas devem saber porquê.Neste momento, as pessoas não sabem onde é que há casos de pneumonia asiática, portanto, todos estão assustados", disse, durante o encontro Henk Bekedam, representante da OMS na China, conforme um comunicado divulgadoà imprensa pela organização.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.