China prende 13 pessoas acusadas de espalharem boatos sobre a Sars

As autoridades da província chinesa de Guangdong, no sul da China, prenderam 13 pessoas por espalharem rumores sobre aSíndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) por mensagens enviadas por telefone celular, anunciou hoje um jornal de Hong Kong.O Wen Wei Po, considerado um órgão oficial do governo central chinês, citou autoridades do Departamento de Segurança Pública de Guangdong, informando que só em 26 de abril foram enviadas mais de dois milhões de mensagens comunicando que o número de casos de Sars na China havia atingido 10 mil.As mensagens pediam também aos destinatários o reenvio para mais 10 pessoas. De acordo com o Wen Wei Po, um dos detidos foi um homem desempregado em Shenzhen, a Zona Econômica Especial vizinha de Hong Kong, que foi multado em 200 yuan (cerca de 21 euros) e condenado a 15 dias de prisão.Os números oficiais sobre a Sars na China registram um total de 3.319 casos confirmados de infecção com a doença e 149 vítimas fatais. Depois de uma primeira eclosão no sul da China, em novembro de 2002, e de um surto inicial em fevereiro, a Sars manifestou-se em março, em Hong Kong, de onde alastrou para o resto do mundo.A doença, mais conhecida por pneumonia asiática, já matou mais de 350 pessoas no mundo, com cerca de 5.600 casos de infecção em 29 países. Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.