China pede moderação com aumento das tensões entre as Coreias

A China pediu neste sábado que Coreia do Sul e Coreia do Norte exerçam a moderação e preservem a paz na península, após o norte comunista ameaçar atacar o sul.

Reuters

20 de outubro de 2012 | 12h16

A empobrecida Coreia do Norte disse na sexta-feira que atacaria caso Seul permitisse que ativistas jogassem folhetos anti-norte em seu território, na advertência mais forte contra seu inimigo de longa data em meses.

O ministro da Defesa da Coreia do Sul disse ao Parlamento que seu exército vai retaliar no caso de um ataque.

"Como um vizinho próximo da península, a China pede que as duas Coreias resolvam o conflito através do diálogo e da consulta", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês Hong Lei, em comunicado.

"Esperamos que as duas partes possam manter a calma e não fazer quaisquer ações provocativas ou radicais."

A Coreia do Norte, que depende fortemente da China para dar suporte à sua economia, bombardeou uma ilha sul-coreana há quase dois anos, matando civis.

Uma eleição presidencial se aproximando no sul e planos para implantação de mais mísseis de alcance por parte do governo em Seul têm irritado o norte e estimulado uma escalada da retórica beligerante de Pyongyang.

(Reportagem de Fayen Wong)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALCOREIACHINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.