China não confirma conta de filho de Sarney

O Ministério da Justiça negou ontem que tenha recebido qualquer confirmação, por parte de autoridades chinesas, sobre a existência de uma conta corrente no exterior, movimentada pessoalmente pelo empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A informação foi veiculada na edição de ontem do jornal Folha de S. Paulo. Segundo a reportagem, Fernando Sarney teria usado essa conta para realizar uma transferência no valor de R$ 1 milhão para uma agência do banco HSBC situada em Qingdao, na China.

AE, Agencia Estado

08 de março de 2010 | 09h02

"O Ministério da Justiça esclarece, por meio de seu secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Junior, que o Departamento de Recuperação de Ativos, da secretaria, não recebeu qualquer comunicado do governo chinês a esse respeito", afirma a nota. A reportagem veiculada pela Folha aponta que a conta em questão estaria situada em um paraíso fiscal, em nome de uma offshore com sede no Caribe.

O Ministério Público Federal rastreou contas secretas supostamente mantidas por Fernando Sarney no exterior. Os investigadores pediram auxílio às autoridades chinesas para levantar todas as informações sobre a remessa de US$ 1 milhão feita pelo empresário para a China.

Na primeira fase da investigação, a PF e o Ministério Público reuniram documentos, e-mails e conversas telefônicas que tratam das operações financeiras no exterior.

As descobertas relacionadas à remessa fazem parte de uma das cinco frentes de investigação abertas pela Operação Boi Barrica da PF, rebatizada de Operação Faktor. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.