Chico Xavier morre em Uberaba

O mais importante médium brasileiro, Chico Xavier, morreu no início da noite de hoje, em Uberaba, cidade que escolheu para viver há mais de 40 anos. Ele tinha 92 anos e foi encontrado em seu quarto, desfalecido, pelo filho adotivo, Eurípedes Humberto. O médico da família, Eurípedes Tahan, foi chamado, mas nada pôde fazer. O médium foi vítima de uma parada cardíaca. Pela manhã, já havia reclamado de dores no peito para familiares.O velório de Chico Xavier será realizado no Centro Espírita Casa da Prece, onde o médium atuava, em Uberaba. Mas a família não informou, até as 22h30 de hoje, onde seria o enterro se em Uberaba ou Pedro Leopoldo, na região metropolitana de Belo Horizonte, cidade natal do médium. Chico Xavier vinha lutando há anos contra sérios problemas cardíacos e pulmonares. Devido à idade avançada, as complicações vinham se agravando, levando-o a ser internado por várias vezes em curtos períodos de tempo. Ele ficou quase dois anos sem fazer o que mais gostava: atender ao público no Centro Espírita Casa da Prece, um templo onde o espírita recebia mensagens. Nos últimos tempos retornou aos trabalhos e, apesar das dificuldades para caminhar, não faltava às reuniões de sábado à noite, nem esquecia o sorriso a todos e o conhecido beijo na mão em agradecimento pela visita. Para o velório de Chico Xavier, estão sendo esperadas autoridades, artistas e pessoas de todas as partes do País. A Polícia Militar de Minas Gerais está estimando que pelo menos 200 mil pessoas passem pelo velório.Várias ruas da vizinhança do Centro Espírita Casa da Prece serão interditadas ao tráfego de veículos. Um batalhão com mais de 100 policiais deverá cuidar da segurança e organização do velório. O horário e o local do sepultamento ainda não foram informados pela família.CarreiraDesde a infância, Francisco Cândido Xavier dizia ouvir vozes e contemplar visões sobrenaturais, que o levaram a se afastar do catolicismo, rumo ao espiritismo. A partir de 1932, Chico Xavier deu início a uma intensa carreira literária.O médium escrevia e publicava livros que, segundo ele - e os milhares de seguidores e admiradores que reuniu ao longo das décadas - lhe eram entregues ou ditados por espíritos identificados como "Emmanuel", "André Luiz" e, mesmo, autores consagrados já mortos, como aqueles a quem são atribuídos os poemas do "Parnaso de Além-Túmulo" (Olavo Bilac e Castro Alves, entre outros).Ao longo de 52 anos, Chico Xavier foi autor (ou psicógrafo) de 337 títulos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.