Chicana jurídica valeu mais 3 meses a Cunha Lima

Se a defesa de Jackson Lago operar da mesma forma que a do ex-governador da Paraíba Cássio Cunha Lima, ele poderá ficar pelo menos mais 3 meses no cargo. Foi isso o que Cunha Lima conseguiu, após o TSE ter retirado seu mandato em 20 de novembro. Ele assegurou o direito de ficar no posto até o tribunal julgar o recurso - o que só ocorreu no dia 17 de fevereiro. O TSE, então, ordenou a posse de José Maranhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.