Cheques estavam 'contabilizados', diz campanha de Covas

A assessoria de campanha do candidato a deputado federal Bruno Covas (PSDB) informou que os 16 cheques encontrados pela Polícia Federal na pasta do suplente de vereador pelo PSDB em São José do Rio Preto, Mário Welber, estavam contabilizados "e dentro da prestação de contas da campanha" do parlamentar.

O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2014 | 02h00

A assessoria de Covas declarou que "diante do extravio, os cheques serão cancelados". Os cheques, segundo a assessoria, estavam assinados pelo contador da campanha e eram endereçados ao coordenador político da região Ulysses Terceiro.

"Os cheques se destinavam a pagamentos de prestadores de serviço da região de Rio Preto", assinala a assessoria de Covas.

Segundo a equipe do tucano, Mário Welber estava em São Paulo "para compromissos particulares e, a pedido do contador da campanha, aproveitou a passagem para encontrá-lo e levar os cheques para o coordenador local, uma vez que voltaria naquele mesmo dia para Rio Preto".

Em nota à reportagem do Estado, a assessoria esclareceu. "Fomos informados pelo advogado Evandro Capano de que seu cliente, Mário Welber, ex-candidato a vereador por Rio Preto e apoiador da campanha de Bruno Covas, recebeu um auto de apreensão da Policia Federal, no sábado, dia 27. Ao embarcar no aeroporto de Congonhas com destino a São José do Rio Preto, Mário Welber levava 16 folhas de cheques da campanha de Bruno Covas.

De acordo com o advogado, Mario Welber prestou os esclarecimentos necessários e se prontificou a esclarecer quaisquer que sejam as informações necessárias." F.M. e D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.