Chega ao STF ação de Maluf contra Lula

O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu hoje a primeira ação contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de autoria do ex-prefeito e ex-governador Paulo Maluf (PPB). Na ação, Maluf reclama que, em julho de 2000, foi injuriado e difamado por Lula durante evento de apoio à então candidata à prefeitura da capital, Marta Suplicy. Na época, Maluf defendia a instituição da prisão perpétua e Lula comentou: "O Maluf é que deveria estar atrás das grades e condenado à prisão perpétua por causa da roubalheira na prefeitura". Os advogados de Maluf entregaram a ação contra Lula em agosto de 2000 no Fórum Criminal de Santana, em São Paulo. Mas essa ação foi transferida agora para o STF porque, no Brasil, esse é o tribunal responsável por analisar e julgar inquéritos, ações e processos penais contra autoridades como o presidente da República, parlamentares e ministros de Estado. Do atual governo, além de Lula, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, sofre inquéritos no STF por supostas irregularidades cometidas na prefeitura de Ribeirão Preto. Na ação penal privada movida contra Lula, Maluf afirma que sofreu profunda dor moral decorrente das declarações do petista. "Condutas mesquinhas e sórdidas como esta devem ser rigorosamente rechaçadas", afirmam os advogados de Maluf. O relator da ação no STF deverá pedir um breve um parecer ao procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, sobre o caso. Antes de mover a ação penal privada contra Lula, a defesa de Maluf havia encaminhado uma queixa-crime à Justiça Eleitoral de São Paulo. No entanto, o Ministério Público entendeu que não havia crime eleitoral e opinou pelo arquivamento do caso. Na época, o juiz aceitou a sugestão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.