Chega a 38 total de áreas ocupadas pelo MST de Rainha

Ações fazem parte do 'janeiro quente' promovido pelo movimento social

José Maria Tomazela, da Agência Estado

17 de janeiro de 2011 | 18h06

SOROCABA - Com sete novas ações ocorridas entre a noite de ontem e a manhã desta segunda,18, subiu para 38 o número de fazendas invadidas ou demarcadas com acampamentos pela ala do Movimento dos Sem-Terra (MST) liderada por José Rainha Júnior, no oeste do Estado de São Paulo. Agora, com o apoio de outros quatro movimentos e de sindicatos rurais, o grupo de Rainha contabiliza 7 invasões no Pontal do Paranapanema, 14 na Alta Paulista e 17 na região de Araçatuba, conforme os números divulgados pelo líder.

A retirada dos invasores também já começou. Hoje, a Polícia Militar cumpriu mandado de reintegração de posse expedido pela Justiça e desocupou a fazenda Carú, no município de Rinópolis, na Alta Paulista, invadida no sábado. O comando militar mobilizou viaturas, policiais e até um helicóptero para a operação.

De acordo com a PM, em algumas propriedades os sem-terra acamparam nos acessos, o que caracteriza turbação de posse (ameaça ao direito de usufruir do imóvel). Os proprietários estão entrando com ações de interdito proibitório para a remoção dos acampamentos.

Desde a tarde de ontem, a Justiça vem concedendo outras liminares de reintegração de posse em favor dos fazendeiros. Fazendas em Presidente Bernardes e Iacri devem ser desocupadas amanhã. Uma das liminares determina a desocupação da fazenda Guarani, invadida ontem, mas até a tarde de hoje os sem-terra não tinham sido notificados. De acordo com Rainha, os militantes foram orientados a cumprir as ordens judiciais sem resistência.

Dirigentes do MST em São Paulo estarão em Brasília, amanhã , para uma audiência com o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackbart. Será discutida a retomada dos assentamentos no Estado. No início deste mês, além de invadir três fazendas em sua jornada de lutas, os sem-terra ocuparam o escritório regional do Incra em Andradina, no oeste paulista. O superintendente do Incra em São Paulo, Raimundo Pires da Silva, participa do encontro, que não terá a presença de representantes da ala liderada por José Rainha Júnior. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.