Chefe de gabinete do governador de GO pede exoneração

Eliane Pinheiro deixou o cargo após ser procurada pela imprensa para comentar envolvimento com Carlinhos Cachoeira, apontado em relatório da Polícia Federal

do estadão.com.br

04 de abril de 2012 | 11h26

A chefe de gabinete do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), pediu exoneração do cargo na noite dessa terça-feira, 3. Eliane Pinheiro teve o nome citado nas investigações da Polícia Federal sobre as atividades do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

 

Relatório elaborado pela PF revelou que Eliane teria recebido informações sigilosas do empresário e, a exemplo do senador Demóstenes Torres (ex-DEM), teria um telefone para conversar com Cachoeira, preso em fevereiro acusado de chefiar esquema de jogos de azar. Ao jornal Folha de S.Paulo, a ex-chefe de gabinete negou envolvimento com Cachoeira e que se tratava de outra pessoa nos telefonemas gravados pela polícia.

 

Segundo a assessoria de imprensa do governo de Goiás, Eliane entregou o pedido de demissão na noite de terça, depois de o órgão ser procurado por veículos de comunicação para comentar o conteúdo das investigações.

 

Cachoeira. O envolvimento de Carlinhos Cachoeira com políticos foi denunciado pela Operação Monte Carlo, da PF. Gravações de conversas telefônicas feitas com autorização judicial, revelaram diálogos em que parlamentares tratavam de trocas de favores e forneciam informações sigilosas para o empresário. O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu inquérito para apurar as denúncias.

 

Em razão da repercussão, o senador Demóstenes Torres pediu desligamento do DEM, nessa terça-feira, 3, e o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), avalia instalar uma CPI para investigar o envolvimento dos deputados mencionados no relatório da PF. Há pedidos de processo contra Rubens Otoni (PT), Sandes Junior (PP) e Carlos Alberto Leréia (PSDB), todos de Goiás. O deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ) também admitiu ligações com Cachoeira, mas não há pedido de processo contra ele até o momento. / Com agências

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.