Chapa completa de oposição no Rio se reúne pela 1ª vez

Diante do risco de derrota nas disputas pelo governo e pelas duas vagas ao Senado, a chapa completa da oposição no Rio de Janeiro reuniu-se pela primeira vez desde o início da campanha. O esforço para demonstrar unidade a duas semanas da eleição aconteceu na tarde de ontem, durante encontro com portadores de deficiência que levou ao mesmo palco os candidatos a presidente José Serra (PSDB), a governador Fernando Gabeira (PV) e a senador Cesar Maia (DEM) e Marcelo Cerqueira (PPS). Também estavam presentes os candidatos a vice-presidente Indio da Costa (DEM) e a vice-governador Márcio Fortes (PSDB).

LUCIANA NUNES LEAL, Agência Estado

19 de setembro de 2010 | 15h46

Em queda nas pesquisas eleitorais, que apontam subida dos governistas Lindberg Farias (PT) e Jorge Picciani (PMDB), Cesar Maia fez rara aparição ao lado dos companheiros de chapa. O ex-prefeito da capital fluminense tem feito críticas à campanha de Serra e afastou-se do tucano. Além disso, por problemas entre PV e DEM ocorridos durante a formação da coligação, não faz campanha ao lado de Gabeira.

Já o candidato a governador, que apoia a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, nem sempre acompanha Serra nos compromissos de campanha no Estado. Ontem, Gabeira chegou depois do encontro ter começado, mas a tempo de todos os candidatos oposicionistas ficarem no mesmo palco por pelo menos uma hora. De manhã, o candidato do PV tinha feito campanha com Marina na Baixada Fluminense. Gabeira enfrenta o favoritismo do governador Sérgio Cabral (PMDB), que, segundo as pesquisas, seria reeleito no primeiro turno.

Presidente do DEM, o deputado Rodrigo Maia, filho de Cesar, desentendeu-se com Serra no início da campanha, mas reaproximou-se do tucano no fim de semana. Rodrigo, que não foi à reunião com os deficientes, acompanhou o presidenciável tucano no primeiro compromisso eleitoral de ontem, uma caminhada em Niterói, na região metropolitana do Rio.

Cesar Maia, Marcelo Cerqueira, Gabeira e Serra discursaram no encontro com os portadores de deficiência, organizado pelo deputado tucano Otávio Leite. O ex-prefeito conclamou a plateia a repetir o número do PSDB de Serra, 45, e falou na necessidade de eleger candidatos de oposição também para a Câmara e o Senado, para combater o "projeto de hegemonia" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT. Gabeira lembrou que faz campanha "contra uma máquina econômica extraordinária e sem escrúpulo".

Denúncias

Serra disse ser amigo "de muitos anos" de Maia e de Cerqueira e lembrou a convivência com o ex-prefeito no Chile, onde os dois viveram exilados durante o regime militar. O tucano já tinha encerrado o discurso voltado ao tema da deficiência física, com promessa de criação de um ministério específico, quando pediu de novo a palavra.

Citou então as denúncias de tráfico de influência na Casa Civil e pediu empenho dos eleitores para conquistar votos e levar a disputa com Dilma Rousseff (PT) para o segundo turno. "Conquiste um voto, de quem não tem candidato ou de quem já tem, mas pode mudar, e a gente pode arrasar nas urnas", discursou Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.