Chapa 'Aezão' conquista só 3% do eleitorado do Rio

No final de junho, o presidente do PMDB no Rio de Janeiro, Jorge Picciani, reuniu 60 dos 92 prefeitos do Estado, parlamentares e representantes de outros 16 partidos para lançar a chapa "Aezão", nome do movimento que prega o voto em Aécio Neves (PSDB) para presidente e em Luiz Fernando Pezão (PMDB) para governador.

O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2014 | 02h01

O movimento chegou a criar comitês e produzir material de campanha. Passados três meses, porém, a chapa conquistou apenas 3% do eleitorado do Estado, segundo a mais recente pesquisa Ibope no Rio.

Majoritariamente contrários à reeleição da presidente Dilma Rousseff, os peemedebistas do Rio prometeram colocar a "capilaridade" do partido no Estado a serviço da candidatura Aécio.

O eleitorado, ao que tudo indica, deu de ombros. Aécio tem 9% das intenções de voto no Estado, segundo o Ibope, e está em terceiro lugar, atrás de Dilma e Marina Silva (PSB).

Pezão, candidato à reeleição, prometeu um palanque misto ao PSDB e também ao PSC do Pastor Everaldo. Na prática, porém, só participou de atos de campanha com Dilma até agora. / D. B.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.