Chalita reconhece que Marta Suplicy deve ser candidata à Prefeitura

Secretário municipal de Educação voltou a ameaçar a sair do partido; Peemedebista faz parte da gestão Haddad e apoia a reeleição do prefeito porque 'é uma gestão moderna e correta para a cidade'

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2016 | 13h27

O secretário municipal de Educação e presidente do diretório paulistano do PMDB, Gabriel Chalita, reconheceu pela primeira vez que a senadora Marta Suplicy deve ser a candidata peemedebista à Prefeitura de São Paulo e disse que, caso seja confirmado o nome da ex-petista, ele sairá do partido. Chalita afirmou que é incoerente continuar na sigla, já que não abrirá mão de apoiar Fernando Haddad (PT) à reeleição.

Segundo Chalita, diante da escolha de Marta como candidata, a saída do PMDB é "questão de coerência". O peemedebista já havia admitido ao Estado no ano passado que deixaria o partido caso o nome da senadora fosse "imposto".

"Se isso (o nome de Marta como candidata) vir a se configurar, como parece que está configurando mesmo, acho que é uma questão de coerência (sair). Eu estou na gestão do prefeito Fernando Haddad. Acredito que é uma gestão moderna e correta para a cidade. Não me passa pela cabeça apoiar nenhum outro candidato que não seja ele", afirmou.

Chalita desconversou quando questionado sobre alternativas partidárias ao PMDB. "Ainda não estou pensando nisso", disse.

O presidente municipal explicou que decidirá a saída e o novo partido após a definição da sigla sobre o candidato peemedebista, prevista para o fim deste mês. "Temos até o final do mês para resolver. Tem tempo ainda para ver o que o PMDB vai fazer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.