Felipe Frazão/AE
Felipe Frazão/AE

Chalita inicia campanha no extremo sul da Capital com críticas a Kassab

Candidato do PDMB disse que nota 10 dada pelo prefeito a sua própria administração é uma piada

Daiene Cardoso - Agência Estado,

06 de julho de 2012 | 13h12

São Paulo, 06 - No primeiro dia oficial de campanha eleitoral, o candidato do PMDB à prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, criticou hoje a nota 10 dada pelo atual prefeito Gilberto Kassab (PSD) à sua própria administração. Para o peemedebista, a avaliação do prefeito "é uma piada". "Aquilo que ele se propôs a fazer, ele não cumpriu 70%. E ele dá 10? Isso é brincar com a população, é fazer com que a política seja uma chacota, da mesma forma que ele deu 10 para a

implosão que ele não implodiu", frisou o candidato.

Em sua opinião, um governante precisa ter maturidade para admitir que errou. "A cidade na televisão é perfeita, agora a cidade real está muito distante daquilo que o prefeito diz, que a propaganda diz", emendou o candidato, evitando dar uma nota pessoal à atual administração.

Diferentemente dos outros candidatos, que escolheram a região central da cidade para iniciar a campanha nesta sexta-feira (06), Chalita foi à Chácara Bananal, na região do M'Boi Mirim, extremo sul da capital. Ele percorreu ruas sem asfalto e ouviu reclamações da população que sofre com os problemas de infraestrutura. "Esta região não tem eletricidade, não tem água, não tem nada. É isso que a gente diz dessas cidades invisíveis dentro de uma megalópole que é a mais rica da América Latina", afirmou.

De acordo com ele, o início de sua campanha terá como foco a periferia da cidade, tanto que nos próximos dias ele deverá visitar Itaquera e Ermelino Matarazzo, na zona leste da Capital. Se eleito, ele afirmou que sua prioridade será as regiões mais pobres do município.

Chalita lembrou que existem hoje três milhões de moradores vivendo em áreas irregulares e em favelas. Ele propõe usar 1% do orçamento para investir em habitação e quer repactuar a dívida do município com a União, considerada por ele "impagável, imoral e injusta". Para o candidato, a prefeitura pode renegociar os valores com o governo federal em troca de investimentos do Minha Casa, Minha Vida em São Paulo.

Em sua estreia como candidato a um cargo executivo, não faltaram fotos com crianças e até com cachorros. Acompanhado de militantes do PMDB, que chegaram em micro-ônibus escolares, o candidato foi acompanhado por mulheres e crianças que cantavam o jingle de sua campanha e gritavam frases como "Vai, Chalita" e "Chalita tesão, bonito e gostosão".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.