Chalita elogia obra de Kassab na favela Real Parque

Peemedebista visitou conjunto habitacional da Cohab e disse que é preciso reconhecer 'as coisas boas que estão acontecendo'

Felipe Frazão - O Estado de S. Paulo,

10 de julho de 2012 | 13h56

O candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, deputado federal Gabriel Chalita (PMDB), elogiou nesta terça-feira, dia 11, pela primeira vez em campanha, a gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD) - a quem antes preferia. Chalita foi à favela Real Parque, na zona sul, e conheceu o conjunto habitacional construído pela Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab). A construção começou dias após um incêndio ter consumido cerca de 300 casas e deixado 1,2 mil moradores desalojados, em 2010.

"Aqui tem algo interessante, porque já se iniciou um projeto de reurbanização. A gente tem que reconhecer as coisas boas que estão acontecendo. Através de um trabalho da comunidade com a Prefeitura, eles chegaram à conclusão de um tipo de construção para as famílias. Tem espaço especial para pessoas idosas, um para pessoas com deficiência. Isso é um começo", disse o candidato.

O peemedebista faz críticas frequentes à administração, mas sempre pregava que era preciso reconhecer os acertos de Kassab. Outro elogio de Chalita a Kassab é o sistema de arrecadação tributária da Secretaria Municipal de Finanças, comandada por Mauro Ricardo Costa - titular da confiança do adversário José Serra (PSDB).

Ao visitar o Real Parque, Chalita esteve em prédios já entregues pela Prefeitura no ano passado aos moradores da favela. E defendeu o modelo escolhido pela Cohab, mas fez ressalvas: "Esse modelo pode ser replicado em outros lugares, fazer com que a comunidade participe. Eu sou favorável a esse projeto de urbanização em prédios, onde tem espaço para lazer, escola. Aí já vem um deficiência aqui: não tem creche ou AMA."

Chalita escutou reclamações de líderes comunitários, que pediram mais áreas de lazer, porque as do conjunto não conseguiriam suprir a demanda. E ficariam fechadas para as famílias que moram lá.

Representantes da Associação SOS Juventude, que oferece aulas na comunidade, também pediram a construção de escolas, creches e AMAs na favela.

A Prefeitura prevê a entrega de cerca de 1.135 mil apartamentos, de 50 m² a 55 m², no conjunto habitacional que fica ao lado de condomínios de luxo no Morumbi. Os recursos investidos, cerca de R$ 140 milhões, são da Operação Urbana Faria Lima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.