CGU quer abrir dados de saques na internet

Em depoimento de quase quatro horas na CPI dos Cartões, ontem, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, afirmou que o governo estuda disponibilizar, por meio do Portal da Transparência, os dados referentes aos saques de funcionários federais com os cartões corporativos. O ministro confirmou, também, que o governo vai ressuscitar a prática de pagar diárias aos ministros.Ao enfatizar que o governo já determinou a limitação em 30% dos saques com os cartões, o que, segundo ele, deverá ocorrer até junho, Hage afirmou que a divulgação dos saques significará ''80% a 90%'' de transparência nos suprimentos de fundos.Tanto Hage quanto o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que depôs logo em seguida, defenderam a utilização de cartões corporativos como mecanismo de gastos transparentes no controle das despesas públicas.O ministro da CGU rebateu acusações de que o cartão seja uma espécie de benesse aos servidores. Também minimizou a polêmica sobre os gastos sigilosos. Segundo ele, somente 5% do número de transações com os cartões são sigilosos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.