CGU nega ampliação de prazo para Delta se defender de irregularidades

Processo pode definir a empreiteira como inidônea e impedi-la de firmar contratos com o governo

Agência Estado,

22 de maio de 2012 | 21h33

SÃO PAULO - A Controladoria-Geral da União (CGU) negou nesta terça-feira, 22, pedido de prorrogação de prazo de resposta da Delta Construções no processo que pode classificar a empreiteira como inidônea e impedi-la de firmar contratos com o governo federal por cinco anos.

A empresa é suspeita de irregularidades e envolvimento no esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira. A CGU interpretou a solicitação como uma tentativa de atrasar o processo e justificou que já havia concedido cinco dias além do tempo previsto. A J&F, controladora da Delta, lamentou a decisão e disse ter se esforçado para cumprir o prazo.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI do CachoeiraDelta Construções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.