CGU demite diretor de Tecnologia dos Correrios por justa causa

A Controladoria Geral da União(CGU)decidiu dispensar por justa causa, a bem do serviço público, o ex-diretor de Tecnologia e Infra-estrutura da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) Eduardo Medeiros de Morais. De acordo com o relatório final do processo feito pela CGU, Eduardo Medeiros está sendo punido porque determinou a "dispensa indevida" de licitação e a "prorrogação ilegal" de contrato administrativo, o que acabou gerando, "lesão aos cofres públicos". Eduardo Medeiros integrava a diretoria da ECT quando estourou o escândalo do ex-funcionário do departamento de contratação e administração de material dos Correios, Maurício Marinho, que foi flagrado cobrando propina de R$ 3 mil, que desencadeou o escândalo do mensalão.Em junho do ano passado, quando estourou a denúncia, além de Eduardo Medeiros, toda a diretoria da ECT foi afastada, inclusive o seu presidente à época, João Henrique Almeida. A partir daí, a empresa passou, então, por uma devassa e foram denunciados inúmeros contratos. Três processos investigatórios foram instaurados pela CGU contra ex-diretores da ECT e este envolvendo Medeiros é o primeiro a ser concluído.Eduardo Medeiros é funcionário de carreira da ECT há mais de 23 anos. Depois de ter sido exonerado do cargo de diretor, passou a cuidar de estudos para a área de encomendas. Os Correios informam que, decorrido o período de cinco dias, dado pela CGU, vai cumprir a determinação da Corregedoria, de demitir o servidor a bem do serviço público, por "improbidade administrativa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.