Cesar Maia propõe fundo para caixa da prefeitura do Rio

O prefeito do Rio, Cesar Maia, afirmou hoje que pretende deixar o caixa da prefeitura com cerca de R$ 1,5 bilhão para a próxima gestão. De acordo com ele, parte dos recursos, em torno de R$ 400 milhões, será obtida por meio da criação de um fundo de recebíveis com títulos emitidos no exterior pelo Deutsche Bank. "O fundo é uma operação considerada administrativa, não há nenhuma complexidade porque não é empréstimo, é colocação de títulos contra garantias como recebíveis da dívida ativa", afirmou Maia, após a inauguração da exposição "Lisboa e Rio: Paradigmas de cidades atlânticas", que teve a presença do presidente de Portugal, Aníbal Cavaco e Silva, na Biblioteca Nacional, no centro do Rio.A idéia, informou Maia, é contar inicialmente com R$ 400 milhões, que é a posição de início de ano do caixa da prefeitura, mais os R$ 400 milhões que deverão ser obtidos com o fundo de recebíveis. Outros R$ 700 milhões deverão ser obtidos com a receita do Imposto Predial e Territorial Urbano(IPTU). "Então, o próximo prefeito começa a governar no final de fevereiro com caixa robusto, para o Tesouro, de R$ 1,5 bilhão. Isso é uma obrigação nossa para que as intervenções que estamos fazendo há muitos anos tenham garantia de continuidade", afirmou Maia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.